Notícias

Encontro da Aberje Bahia traz discussão sobre comunicação e indústria criativa

Projetos de profissionais baianos foram apresentados durante evento

Profissionais de comunicação, empresários e representantes de empresas de comunicação baianos atenderam ao chamado e ocuparam, na manhã desta sexta-feira (05), o auditório da sede da Coelba em Salvador, para a realização da 4ª edição do Encontro Aberje Bahia, com o tema “Revolução criativa na Bahêa: o que a Comunicação tem a ver com isso”. O evento é uma iniciativa do Capítulo Aberje Bahia da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial. Projetos de profissionais baianos do audiovisual, games, marketing cultural, além de case de marketing esportivo do Esporte Clube Bahia, foram apresentados ao público.  Entre os representantes de instituições do setor da comunicação mencionadas no encontro, esteve presente Luis Guilherme Pontes Tavares, Diretor de patrimônio da ABI.

Da esquerda para a direita: Alexandre Santos (Strike Games), Milena Anjos (Êpa Filmes), Marcelo Gentil (Aberje Bahia), José Enrique Iglesias (SSA Maping), Nelson Barros (E.C. Bahia) e Amine Darzé (Coelba) – Foto: Fernando Franco/ABI

Marcelo Gentil, Diretor do Capítulo Aberje Bahia e Gerente de Comunicação da Odebrecht S.A. em Salvador, defendeu, na abertura do evento, a “comunicação como cultura” frente às profundas transformações que as novas tecnologias da informação e comunicação estão trazendo para a sociedade, profissionais e as organizações. “A gente tem o objetivo, com esses encontros da Aberje e os cursos de qualificação, preparar o mercado, preparar o profissional para os desafios da transformação digital. Essa transformação impacta diretamente o ecossistema da comunicação e, consequentemente, os profissionais”, disse.

Criar uma rede de profissionais baianos e evidenciar as iniciativas bem-sucedidas da diversidade da indústria criativa no estado são propostas dos encontros promovidos pelo Capítulo Aberje Bahia. “Hoje o que a gente está fazendo é exatamente isso, pegando pessoas da área de games, da área de mapping, da área de marketing cultural, marketing esportivo e conectando essas pessoas com outras áreas de conhecimento”, pontuou Gentil. O diretor da Aberje Bahia olha para o futuro e visualiza desafios e oportunidades para os profissionais de comunicação e para as empresas também. “Ao mesmo tempo que é um desafio, no sentido de abrir uma janela para a área no mercado, temos o desafio de formar melhor os profissionais, além de conectá-los com as empresas e entidades de um modo geral, para que eles entendam o que é essa nova comunicação”, apontou.

Leia também: Em reunião da ABI, Marcelo Gentil fala sobre a reativação da Aberje na Bahia

A empresária Suely Temporal, sócia-diretora da agência de comunicação ATCom, avalia positivamente a iniciativa e vê a discussão sobre criatividade uma necessidade vital para o setor. “Criatividade é uma coisa que está muito relacionada com a comunicação, ainda mais no momento em que nós estamos vivendo, momento disruptivo, muitas mudanças na comunicação, na criatividade, no modo de consumo e no modo de vida das pessoas”, pontuou Temporal. Para Alexandre Santos (sócio da Strike Games), existe um mercado criativo com muitos projetos e ideias na Bahia, o que falta é “um lado gerencial, porque produção a gente tem com louvor”.

Banda Som Soteropolitano Ambulante – Foto: Fernando Franco/ABI

Além da apresentação de projetos baianos, como o game sobre a Revolta dos Búzios, de Alexandre Santos (sócio da Strike Games), a websérie Punho Negro, por Milena Anjos (Êpa Filmes) e a experiência de marketing cultural do Festival SSA Mapping, por José Enrique Iglesias, a plateia assistiu a apresentação da banda Som Soteropolitano Ambulante (SSA), que animou a todos com um repertório de clássicos da música brasileira, baiana e world music.

comentários

Artigo anteriorPróximo artigo