July Isensée recebe moção de aplausos da ABI – ABI – Associação Bahiana de Imprensa
ABI BAHIANA

July Isensée recebe moção de aplausos da ABI

Em reunião ordinária da diretoria da Associação Bahiana de Imprensa (ABI), realizada nesta quarta-feira (12), foi aprovada, por unanimidade, uma moção de louvor e aplausos para a colunista Julieta Miranda Isensée, ‘July’, em razão da passagem dos 106 anos do jornal A Tarde.

A proposta foi do diretor Eliezer Varjão, que ressaltou na justificativa o fato de July, secretária da Assembleia Geral da entidade, ser a servidora mais antiga da área redacional do Grupo A Tarde e a sua competência profissional, além da fidelidade, seriedade, credibilidade e elegância dos registros da vida social da Bahia.

Leia a íntegra da moção:

No momento em que o jornal ‘A Tarde’ festeja 106 anos, proponho à diretoria da Associação Bahiana de Imprensa (ABI) uma moção de louvor e aplausos para a jornalista Julieta Miranda Isesnsée, nossa querida ‘July’, diretora desta casa e servidora mais antiga da área redacional do ‘Grupo A Tarde’.

De comprovada competência profissional, ela registra, desde 1964, com fidelidade, seriedade, credibilidade e elegância, os fatos mais importantes da sociedade baiana, sendo a primeira mulher condecorada com a medalha ‘Ranulpho Oliveira’, honraria concedida pela ABI a pouquíssimas personalidades.

Torcedora e conselheira do Vitória, fã de Frank Sinatra e leitora de Fernando Pessoa, July também trabalhou, por 15 anos, no semanário ‘Esporte Jornal’, com o pseudônimo ‘Juju de Mirante’. Querida e admirada pela categoria, adora viajar, confessando-se apaixonada por Paris.

Produzido em 1982, pela agência DM9, é mencionada em premiado comercial da ‘Ótica Ernesto’ – “Vire e mexe e aparece na coluna de July” – numa  inegável constatação do seu prestígio jornalístico. Não à toa é chamada, com toda justiça, de ‘Primeira-dama do colunismo social da Bahia’.

Quando cheguei em ‘A Tarde’, ainda na sede velha, na Praça Castro Alves, em 1971, procedente do ‘Diário de Notícias’, July já era uma jornalista consagrada. Tinha pouco contato com ela, pois trabalhávamos em períodos diferentes, numa época em que o jornal, então vespertino, fechava as colunas num turno diverso do trabalho da maioria do pessoal da Redação.

Sabia, entretanto, de suas qualidades como repórter e redatora e também como ser humano: amiga e generosa. Mais tarde, como chefe de Reportagem,  passei a vê-la com frequência e aí tive a certeza de que o jornal dispunha em seus quadros de uma das melhores e mais bem informadas colunistas sociais do país. É por tudo isso que entendo que July é merecedora desta moção feita pela ABI, como marco de mais uma aniversário de A Tarde.

________________________________

 *Registro de Antônio Matos, diretor da ABI.

comentários

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *