Pensando a imprensa

Marketing e Comunicação, a intersecção entre as áreas

Por Amanda Almada*

Antes mesmo de discutir as implicações e desdobramentos do trabalho conjunto entre as áreas de marketing e comunicação, é preciso identificar quais são as abrangências de cada segmento e quais ferramentas podem ser usadas, tanto para os processos individuais, quanto para o planejamento estratégico completo, onde todas as áreas com funções chave para o crescimento da organização trabalham em conformidade para transmitir uma mensagem concisa a e uniforme.
Marketing e comunicação são áreas semelhantes e, no mercado, os profissionais tendem à atuar na mesma equipe. Genericamente, dizemos que o marketing é responsável pelas vendas dos produtos ou serviços oferecidos pela organização, enquanto a comunicação define a maneira como o produto deverá ser divulgado para seu público alvo, mas as áreas caminham sempre juntas e são interdependentes, com as práticas de comunicação alinhadas aos estudos de mercado realizados pelo marketing.
O que é comunicação?

Quando pensamos a comunicação no âmbito corporativo, ou organizacional, entendemos que ela é o resultado sinérgico de diversos setores e especialidades, entre eles o Jornalismo, as Relações Públicas, a Publicidade e Propaganda, o próprio Marketing, e as demais competências e ferramentas – como assessoria de imprensa e eventos – que integradas respondem pela imagem da empresa, pelo relacionamento que ela tem com a sociedade e pela dinâmica de interação com seus clientes.

Antes vista como um acessório aos processos corporativos, a comunicação é hoje um elemento fundamental para o planejamentos estratégicos das organizações. Sob a abordagem empresarial, compreende um conjunto complexo de atividades, ações, estratégias, produtos e processos desenvolvidos para reforçar a imagem de uma organização – seja ela pública ou privada, dos mais diversos setores e dimensões – junto aos seus públicos de interesse ou à opinião pública.
Em termos gerais, o profissional de comunicação é responsável pela forma como a informação é transmitida e recebida pelos públicos, promovendo os produtos de modo que o consumidor tenha interesse e seja um potencial comprador. Ele deve definir os canais, abordagens e formas de comunicação mais adequadas para cada objetivo específico, sejam eles internos ou externos, com abordagens mercadológicas ou institucionais. Todos os desdobramentos devem estar alinhados ao planejamento estratégico da empresa e ser mensurados constantemente.

O que é marketing?

Enquanto a comunicação está focada na criação de mensagens-chave e no trabalho de imagem, o marketing tem o foco voltado aos negócios, às vendas e ao mercado consumidor. São feitas análises e estudos profundos sobre cada elemento que determina a presença de um produto ou serviço no mercado, estudando a concorrência e identificando a demanda dos potenciais consumidores. As respectivas causas deste cenário também são identificadas e avaliadas, de modo que a atuação da empresa possa ser otimizada.

Entendemos o marketing como a ciência capaz de criar um valor, agregado ou simbólico, que seja capaz de satisfazer as demandas de um mercado-alvo e trazer lucro. Cabe ao segmento perceber as necessidades e desejos de seus clientes, metrificar o mercado com o qual interagem e apontar os pontos promissores para abordagem. Também deve avaliar qual é o produto ou serviço que deve ser ofertado com base no perfil da empresa, garantindo melhores resultados.

O objetivo do profissional de marketing não se resume à vender um produto ou serviço, mas à planejar e alinhar tudo que envolve este processo. É preciso compreender todo o ciclo de compra do seu público-alvo e trabalhar estrategicamente desde as etapas iniciais – de produção e logística – até os momentos de maior interação com o consumidor, durante a divulgação, comercialização e pós-venda. O resultado dos negócios é reflexo da forma como lidamos com o mercado.

Otimização dos processos por meio da integração das áreas

Em um mercado consumidor cada vez mais dinâmico e mutável, influenciado diretamente pelos novos padrões de sociedade em rede, ciclo de compra e criação de valor, é esperado das empresas uma visão cada vez mais abrangente do universo dos negócios e, de seus colaboradores, uma abordagem multidisciplinar e inovadora. Quando pensamos em otimizar processos internos das organizações, mais do que trabalhar o fluxo e a dinâmica de um departamento específico, é preciso promover a integração entre as diversas áreas e departamentos, tornando as operações mais fluidas, reduzindo erros e conduzindo todas as práticas ao alinhamento estratégico.

Apesar da criação de segmentações na área de comunicação e marketing, os conhecimentos e práticas pertinentes à eles são complementares e as atribuições fazem parte de um mesmo processo nas empresas, cada qual atuando de forma mais efetiva em um determinado momento. O alinhamento tem que ser pensado individualmente para cada empresa, logo que as práticas e a mensagem a ser passada influenciam na dinâmica de trabalho. Algumas vantagens são pertinentes à maioria das organizações, são elas:

– Alinhamento de discurso e objetivos

Um grande problema enfrentado pelas empresas é a falta de alinhamento entre os discursos de cada departamento e o impacto que isso causa durante a interação com o cliente. Nos melhores casos, projeta fraqueza no atendimento e baixa credibilidade, mas no pior dos casos pode resultar em processos e implicações legais. Além de uma necessidade, a unificação de discursos e do objetivo central pelo qual as áreas trabalham, resulta em um esforço coletivo com grande potencial para gerar resultados.

– Redução de custos

Com áreas semelhantes realizando suas atividades de forma integrada, a existência de retrabalho é cada vez menor, assim como o tempo demandado para a realização de cada projeto. Com mais tempo disponível, mais conhecimentos integrados e fluxos mais simples e diretos, a produtividade aumenta, impactando diretamente na redução de custos. Outros fatores que impactam nos custos são a logística das equipes e o volume de contratação.

– Diminuição de erros e melhores resultados

Conhecimentos complementares e processos vistos de forma mais abrangente reduzem a incidência de erros. A comunicação passa a entender melhor o mercado com o qual interage e quais são suas demandas, em contrapartida o marketing conhece o discurso da empresa e faz dele a sua voz para convencer os clientes. Mesmo as pesquisas deixam de atender demandas pontuais para serem melhor aproveitadas, com profundidade e relevância multifacetada.

– Comunicação pensada de forma rentável

Com o marketing associado aos processos de comunicação, ela passa a apresentar uma abordagem mais mercadológica e rentável. A comunicação não é apenas responsável por transmitir uma mensagem, mas por estimular o cliente de forma mais intensa e baseada em suas necessidades. Se torna mais assertiva, mais alinhada aos objetivos de negócio e mais integrada ao planejamento estratégico das organizações. O marketing atraindo clientes e a comunicação promovendo o relacionamento e estimulando sua atividade. Se você ainda não testou esta dinâmica de trabalho na sua empresa, não perca tempo.

*Fonte: Portal Comunique-se

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *