ABI BAHIANA

Museu de Imprensa da ABI recebe rádio do início do século XX

Filmes, sabores, músicas, o cheiro de um bolo. Uma lista interminável de lembranças pode fazer alguém acessar as memórias da infância e se emocionar, de alegria, de tristeza ou de saudade. O jornalista Luís Guilherme Pontes Tavares, diretor de Patrimônio da Associação Bahiana de Imprensa (ABI), evocou suas recordações nesta quarta-feira (15), durante reunião mensal da entidade. Na data em que ele comemora 67 anos, Luís presenteou o Museu de Imprensa da ABI com um aparelho radiofônico que pertenceu à sua avó materna, Antônia Serra Pontes.

Aparelho fabricado pela Mullard Rádio Valve Company, empresa inglesa fundada em 1920 e adquirida pela Philips em 1926 – Foto: ABI

O equipamento da marca inglesa Mullard (modelo R1200u), fabricado na primeira metade do século XX, ainda sintoniza ondas AM. “Na infância e adolescência, testemunhei quando ela ouvia novelas e músicas. Estava ao seu lado, enquanto ela escutava a novela ‘Jerônimo, o herói do sertão”, destacou o diretor. “Quero acentuar minha absoluta confiança no futuro do Museu de Imprensa da ABI”, ressaltou o filho do historiador e escritor Luis Henrique Dias Tavares (93). O diretor integra a equipe responsável pela articulação para reabrir o equipamento cultural. Já foram iniciadas as obras de adaptação do piso térreo da sede da ABI, na Praça da Sé. Em breve, preciosidades semelhantes estarão disponíveis para apreciação do público.

  • Confira um trecho da radionovela “Jerônimo, o herói do Sertão (aqui)

Luís Guilherme é jornalista, produtor editorial e professor universitário. Possui graduação em Comunicação pela Universidade Federal da Bahia (1977), mestrado em Jornalismo pela Universidade de São Paulo (1990) e doutorado em História Econômica pela Universidade de São Paulo (1999).

Ouça também: O Direito de Nascer, de 1951 (aqui)

comentários

Artigo anteriorPróximo artigo