Sessão especial na ABI exibe documentário sobre o Caso Geovane – ABI – Associação Bahiana de Imprensa
ABI BAHIANA

Sessão especial na ABI exibe documentário sobre o Caso Geovane

Série de reportagens deu origem ao filme “Sem descanso”, dirigido pelo francês Bernard Attal

Preso, torturado, degolado vivo, queimado, esquartejado. O trágico destino de Geovane Mascarenhas de Santana, cujo assassinato por policiais militares em 2014 ficou posteriormente conhecido como “Caso Geovane”, será lembrado na sede da Associação Bahiana de Imprensa (ABI). No aniversário de 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, 10 de dezembro, a Sala Roberto Pires, exibirá às 18h o documentário “Sem Descanso” (2018). A obra, do cineasta francês Bernard Attal, narra a saga de Jurandhy Silva de Santana em busca de seu filho, desaparecido após uma abordagem policial no bairro da Calçada, em Salvador.

No dia 13 de agosto de 2014, uma reportagem do jornalista Bruno Wendel para o jornal Correio* revelava o desaparecimento da vítima. Segundo a matéria, uma câmera de segurança flagrou o momento em que Geovane, de 22 anos, foi levado no fundo de uma viatura. Dois dias após a publicação ganhar as ruas, o corpo carbonizado foi encontrado. As investigações chegaram a 11 policiais, que foram denunciados pelo Ministério Público por homicídio, sequestro e ocultação de cadáver.

O documentário Sem Descanso foi lançado no dia 17 de novembro, durante o Panorama Internacional Coisa de Cinema, mais relevante evento de cinema da Bahia. De acordo com Bernard Attal, a série de reportagens “Onde está Geovane?”, produzida pelo jornal Correio*, motivou a realização do filme. Attal, que divide o roteiro com a jornalista e produtora cultural Fabíola Aquino, destaca a importância do jornalismo investigativo. “Achei muito bacana porque o jornal acompanhou o pai, não deixou a história cair”. Para ele, o desfecho do caso só foi possível por causa da obstinação de Jurandhy, que não descansou até saber o destino do seu filho.

“Sem descanso” foi dedicado a Sérgio Costa, que morreu em 2016 e era editor-chefe do jornal Correio* quando o crime aconteceu. De acordo com Bruno Wendel, o papel de Costa foi fundamental para a continuidade da apuração. A obra, inclusive, conta com depoimentos de Sergio Costa, Bruno Wendel e Juan Torres, editor do jornal na época. Pela série de reportagens, Bruno Wendel foi indicado ao Prêmio ExxonMobil de Jornalismo (antigo Prêmio Esso) e venceu o Prêmio OAB de Jornalismo.

A sessão ambientada na ABI dispõe de 20 lugares. Para ter acesso, os interessados devem enviar um e-mail de confirmação de presença (RSVP) para <abi.imprensa@hotmail.com>. No Edifício Themis, vizinho do Edifício Ranulpho Oliveira, onde está situada a sede da ABI, há um estacionamento. Acesso pela Rua D’Ajuda.

 

Serviço

Exibição do filme “Sem descanso” (2018)

Data: 10/12/18, às 18h

Local: Sala Roberto Pires (sede da ABI – 2º andar do Ed. Ranulpho Oliveira – Rua Guedes de Britto, 1 – Praça da Sé)

Entrada franca (20 lugares)

comentários

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *