Geral

UFBA rejeita o programa Future-se do Ministério da Educação

A Universidade Federal da Bahia (UFBA), através do Conselho Universitário (Consuni) rejeitou, por unanimidade, o projeto de lei que pretende instituir o Programa Institutos e Universidades Empreendedoras e Inovadoras, o “Future-se”, do Ministério da Educação (MEC). A decisão tomada na última terça-feira (29), ocorreu em reunião extraordinária, com pauta única, realizada no Salão Nobre da Reitoria. O projeto de lei prevê, entre outras medidas, a possibilidade de as universidades cederem direitos de nome para empresas privadas. 

Em nota, a assessoria da instituição afirmou no site oficial que no momento da reunião “manifestaram-se também os representantes dos conselhos superiores e das categorias discente, docente e técnico-administrativa”. De acordo com o site, ainda serão detalhados os motivos da decisão e divulgados os documentos produzidos pelas unidades universitárias.

Em 10 de outubro, Paulo César Miguez, vice-reitor da UFBA, veio à Associação Bahiana de Imprensa (ABI) para debater e avaliar com os diretores sobre os impactos do programa no ensino superior público. Segundo o gestor, “o Future-se inviabiliza a assistência estudantil, a expansão e a diversidade, torna insustentável o tripé ensino-pesquisa-extensão, e compromete a autonomia da universidade”.

Leia também: “Future-se”: Reitor em exercício da UFBA fala na ABI sobre os impactos do projeto

comentários

Artigo anteriorPróximo artigo