Sem categoria

Valber Carvalho prepara lançamento de biografia de Irmã Dulce

Enquanto a Igreja no Brasil já se prepara para a canonização de Irmã Dulce, no próximo dia 13 de outubro, o jornalista e escritor Valber Carvalho anuncia a biografia sobre a vida do “Anjo Azul dos Alagados” para o segundo semestre deste ano. Dias após Maria Rita Souza Britto Lopes Pontes ter deixado de ser apenas Irmã Dulce para se tornar a primeira Santa da Igreja Católica nascida em solo brasileiro, Valber convida a todos para o lançamento do livro.

O jornalista escreveu nesta quinta-feira (04) um artigo para o site da ABI, no qual descreve o árduo percurso de produção da obra, o que motivou a escolha da personagem e revela algumas fontes. “Milhares de documentos escritos foram lidos e catalogados, informações primárias oficiais – de dentro e de fora da Igreja – ou outras publicadas em jornais de todo o país, serviram para embasar as informações valiosíssimas de centenas de relatos orais gravados, muitos deles completamente inéditos”, ressalta no texto “Uma biografia da Santa Irmã Dulce”. Leia aqui.

De Maria Rita a Irmã Dulce – Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes nasceu em 26 de maio de 1914, em Salvador. Segunda filha de do dentista Augusto Lopes Pontes, professor da Faculdade de Odontologia, e de Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes. Aos 13 anos, Irmã Dulce passou a acolher mendigos e doentes em sua casa, transformando a residência da família – na Rua da Independência, 61, no bairro de Nazaré, num centro de atendimento. Nessa época, ela manifesta o desejo de se dedicar à vida religiosa. Em 13 de agosto de 1933, recebe o hábito de freira das Irmãs Missionárias e adota o nome de Irmã Dulce, em homenagem a sua mãe. Passou a dar assistência a comunidades pobres, abrigar doentes que recolhia nas ruas de Salvador. Em 1959, é instalada oficialmente a Associação Obras Sociais Irmã Dulce.

Irmã Dulce morreu em 13 de março de 1992, aos 77 anos. A causa da Canonização de Irmã Dulce foi iniciada em janeiro de 2000. Foi beatificada pelo Papa Bento XVI, no dia 10 de dezembro de 2010, passando a ser reconhecida com o título de “Bem-aventurada Dulce dos Pobres”. Em maio de 2019, o Vaticano anunciou que Irmã Dulce se tornará santa, com a conclusão do processo de canonização.

comentários

Artigo anteriorPróximo artigo