ABI BAHIANA

ABI recebe documento raro com discurso de Ruy Barbosa na Conferência de Haia

Obra registra a participação histórica de Ruy Barbosa no evento que lhe conferiu a alcunha Águia de Haia

Na manhã desta quarta-feira (14), durante a realização de reunião mensal, a Associação Bahiana de Imprensa (ABI) recebeu a doação de um exemplar do documento “A Conferência de Haia” (1907), de autoria do jurista, jornalista e também diplomata Ruy Barbosa. O impresso datado de 1952 traz prefácio de João Neves da Fontoura, embaixador do Brasil junto ao governo português entre 1943-1945. A cessão do livro foi feita pelo jornalista Jorge Ramos, diretor de Cultura da ABI.

Ramos conta que a aquisição do material foi feita há cerca de 20 anos em uma de suas visitas a um sebo. “Quando eu vi o livro, eu disse ‘poxa, interessante’. Eu não tinha nenhuma ideia para que ele serviria, mas eu achei que era importante naquele momento, ‘isso aqui vai servir no futuro para alguma coisa’. Aí, eu pedi o preço, negociei, barateei e consegui comprar”.

Jorge Ramos entrega documento ao presidente da ABI, Walter Pinheiro – Foto: Fernando Franco/ABI

O diretor de cultura da ABI conta de sua surpresa ao identificar a raridade do documento que registra a participação histórica de Ruy Barbosa na Conferência de Haia, a qual lhe conferiu a alcunha Águia de Haia. “Além do prefácio preciosíssimo de João Neves da Fontoura, para minha surpresa, eu vi que tinha o fac-símile do texto, o copião inicial do discurso célebre que Ruy Barbosa pronunciou na Holanda em 1907”, comenta.

A Conferência de Paz, em Haia, na Holanda, foi realizada pela primeira vez em 18 de maio e durou até 25 de agosto de 1899, reunindo 26 Estados por iniciativa do czar Nicolau II. A proposta era assegurar os benefícios da paz estendidos a todos os povos e por um fim progressivo ao desenvolvimento de armamentos. O Brasil, único convidado da América do Sul à época, não compareceu à Conferência.

A Segunda Conferência da Paz aconteceu entre 15 de junho e 18 de outubro de 1907, com a presença de 175 delegados de 44 Estados. Desde o ano de 1906, o diplomata Manuel de Oliveira Lima indicava, por meio da imprensa, Ruy Barbosa para representar o Brasil nesta edição da Conferência, que contava agora com a participação dos países latino-americanos. O mesmo fazia Edmundo Bittencourt, no Correio da Manhã.

Leia também: 

Em 1º de abril de 1907, Ruy Barbosa foi nomeado Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário e 1º Delegado, e Eduardo Félix Simões dos Santos Lisboa, 2º Delegado e Agente Diplomático, junto à Corte da Holanda. Ramos relembra a atuação brilhante de Ruy Barbosa, que silenciou os presentes na assembleia. “Ruy defendeu o princípio da força do Direito contra o direito da força. Ele defendeu o direito dos povos contra a força dos poderosos. Esse discurso que Ruy Barbosa pronunciou em francês calou a Assembleia de Haia, com repercussão mundial”, resgata Jorge Ramos.

Agora aos cuidados da equipe da ABI, a obra segue para o processo de catalogação e deve passar por reparos que a tornarão adequada para futuras consultas pelo público. “O destino da obra ainda será decidido pela direção da instituição, se fica no acervo do Museu de Imprensa da ABI ou na Casa de Ruy Barbosa. Por ser uma obra rara, a consulta só será possível in loco”, explica a bibliotecária da ABI, Valésia Oliveira.

*Sob a supervisão de Joseanne Guedes.


Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *